UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 28 de maio de 2022

Observadores de aves realizam 26° passarinhada contra o Porto Seco em Paranapiacaba

PRESERVAÇÃO – Mesmo sob chuva, mais de 20 pessoas se empenharam em observar e registrar às espécies na região do Porto Seco (Foto: Yago Amador/A Verdade).

Yago Amador e Miguel Malta Magro

SANTO ANDRÉ – Uma luta séria pela conservação da fauna e flora da Mata Atlântica ocorre em Santo André. Há mais de 5 anos, a instalação de um Centro Logístico, conhecido como Porto Seco, ameaça desmatar uma área equivalente a noventa e dois campos de futebol próximos à Vila de Paranapiacaba – uma vila operária histórica localizada no Parque Estadual da Serra do Mar.

A região faz parte do maior complexo de preservação da Mata Atlântica, cujo território atual corresponde a apenas 12,4% do original e no qual o desmatamento aumentou em 400% entre 2019 e 2020.

Com o empreendimento, mais de 80 nascentes serão perdidas e será criada uma brecha para o aumento do desmatamento na região, o que impactará diretamente não só na vida silvestre como também na dos moradores.

Entretanto, esses ataques não ocorrem sem resistência por parte dos moradores e daqueles que defendem o meio ambiente. Diversos atos e atividades de conscientização já foram realizados como forma de resistir às políticas de devastação da natureza e para divulgar a biodiversidade do local.

Há mais de quatro anos, observadores de aves, pessoas dedicadas ao estudo e monitoramento das espécies de aves brasileiras, realizam passarinhadas. Uma atividade que visa divulgar a importâncias da grande quantidade de espécies que existem na região. Como na 26° passarinhada, ocorrida no começo de janeiro, que levantou em apenas poucas horas cerca de 91 espécies de aves existentes na região.

Seguindo na linha de defesa dos grandes ricos e criminosos do nosso país, Paulo Serra (PSDB), prefeito de Santo André, só prova que para a burguesia a natureza é só mais um item para lucrar às custas da destruição e da morte da fauna e da flora.

Atividades como as passarinhadas só provam que é possível lutar em qualquer área que se dedique e que o povo sabe a importância do meio ambiente, mas o capitalismo quer utilizar-se dele para lucrar.

Apenas com o controle popular dos meios de produção e do uso da terra a natureza poderá ser preservada e recuperada. E com mais ações e lutas pela defesa do que é nosso daremos a mensagem de que a luta popular pode vencer qualquer batalha!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes