UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

domingo, 2 de outubro de 2022

“A UP será um partido de milhões”, afirma Léo Péricles em Florianópolis

Pré-candidato Leo Péricles em plenária da Unidade Popular pelo Socialismo na Ocupação Anita Garibaldi

Júlia Ew e Matheus Menezes | Florianópolis
Fotos: Carol Carneiro, Gabriela Oliveira e Áurea Fonseca

Leonardo Péricles, pré-candidato à Presidência da República pela Unidade Popular pelo Socialismo (UP), está em caravana pelo Brasil para apresentar as propostas da UP para tirar o Brasil da crise e somar apoio na construção de um programa popular para o país. No último sábado (19), esteve em Florianópolis (SC), capital do Estado de Santa Catarina, para uma agenda cheia de debate político e contato com o povo.

As atividades começaram logo cedo. Às 07h, um café no Centro da cidade com a militância, onde filiados da Unidade Popular puderam conversar de perto com o presidente e agitar as ruas do centro de Florianópolis. A militância foi então para a já conhecida “esquina da UP”, ponto na cidade ocupado desde a campanha das eleições de 2020  pelo partido, onde são realizadas as brigadas nacionais do Jornal A Verdade e onde, no dia 19, foram entregues milhares de panfletos apresentando a pré-candidatura da UP.

Café da manhã na praça junto com a militância da UP

Leo seguiu sua agenda visitando pontos históricos da cidade, como a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, ou Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, construída por negros escravizados e um ponto de referência da resistência negra na cidade. Conheceu também os murais em homenagem a Antonieta de Barros, primeira deputada negra da história do Brasil, e Cruz e Souza, poeta abolicionista.

Entrevista ao jornalista catarinense Upiara Boschi

Após, o pré-candidato cedeu entrevistas para o Portal Desacato, cooperativa comunicacional popular, para  Rádio Campeche, tradicional rádio comunitária ativa há mais de 20 anos na capital, e, por fim, para Upiara Boschi, jornalista e analista político catarinense. Nas entrevistas, Péricles ressaltou a posição do partido sobre a importância da unidade da esquerda contra o fascismo, que deve ser pautada em um programa que resgate os princípios fundamentais do campo, a começar pela recusa a conciliar-se com seus inimigos de classe. Ressaltou alguns pontos desse programa, como a revogação do teto de gastos, e das reformas anti-povo, suspensão e auditoria da dívida pública brasileira, a taxação de grandes fortunas, a reforma agrária e urbana e a punição dos torturadores de ontem e de hoje.

A agenda seguiu para uma mobilização na comunidade do Alto Pantanal, onde Léo foi recebido com carinho por moradores militantes do Movimento de Luta nos Bairros Vilas e Favelas (MLB), que denunciaram as condições precárias e de segregação em que vivem. Foi realizada uma caminhada pelo bairro convocando a todos e todas para o evento que encerraria o dia, a plenária de apresentação da pré candidatura na Ocupação Anita Garibaldi.

Visitando o morro do Alto Pantanal, em Florianópolis (SC)

Na Anita Garibaldi, ocupação construída pelo MLB que resiste há cinco meses, a plenária teve seu início atrasado devido a uma batida da Polícia Militar, que intimidou moradores e dirigentes do partido e impediu a instalação de luz no local, afirmando que a ligação era ilegal, mesmo havendo decisão judicial garantindo o acesso à energia elétrica para a ocupação.

Detalhe: não foi a primeira vez que atividades da caravana de Leonardo Péricles sofreram tentativa de intimidação por parte da Polícia Militar. Em Natal (RN), logo após a plenária que aconteceu na Ocupação Emmanuel Bezerra, PMs invadiram o local.

Plenária na Ocupação Anita Garibaldi

Mas não seria a ação da PM a desmotivar a militância da Unidade Popular. “Na última quarta-feira, a Polícia Militar quebrou o cadeado e invadiu com fuzis a nossa ocupação, e hoje, tiram nosso direito à energia elétrica. Mas se quiserem parar a nossa luta, vão ter que se esforçar mais, porque nossa plenária vai acontecer mesmo assim!” destacou Júlia Andrade Ew, presidente do diretório estadual do Partido. “Esse é o tipo de atividade que faríamos mesmo à luz de velas!” Reforçou Leo Péricles para aproximadamente 100 pessoas que lotavam a ocupação.

Durante a plenária, apresentações culturais aqueceram a ocupação, preparando o caminho para o debate da pré-candidatura. Ana Lúcia declamou uma poesia em homenagem à UP, Wilson Majé e Laís Chaud trouxeram a força da capoeira através de uma ladainha e Matheus Menezes, presidente do diretório municipal, com Lucas Menezes, apresentaram o rap “A Favela Acordou”, trilha sonora das manifestações da “Povo na Rua, Fora Bolsonaro” e “Não vai ficar assim, não” música de protesto contra o assassinato de uma criança negra em Florianópolis.

Leonardo trouxe em sua fala inicial a tarefa da Unidade Popular: organizar o povo e ocupar as ruas para derrubar Bolsonaro antes das eleições. Para isso, é necessário seguir o exemplo de países irmãos da América Latina, como o Chile, que após uma insurgência popular convocou uma assembleia constituinte com representação da maioria do povo. Péricles também ressaltou a importância da luta antirracista de forma mais profunda: “Não adianta protestar quando mais um negro é assassinado e depois aliar-se com Alckmin, um dos maiores encarceradores em massa do povo negro, e responsável pelo massacre de Pinheirinho. Fazer isso é conciliar com o racismo!”.

Após a fala de Leonardo, a plenária realizou inúmeras intervenções, tanto de apoio quanto de perguntas sobre a construção da pré candidatura. Péricles finalizou a plenária convidando a todas e todos para ajudar na construção do programa da pré candidatura, fazendo o chamado para que o povo tome partido: o partido dos pobres, dos trabalhadores, das mulheres, dos povos indígenas, do povo  negro, da população LGBTQIA+. “Ninguém pode impedir a UP de ser um partido de milhões, a não ser nós mesmos. Vamos à luta camaradas!”

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes