UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 6 de julho de 2022

Estudantes da UFABC realizam assembleia pelo retorno presencial

COMBATIVIDADE – Estudantes se organizam para defender o retorno presencial seguro na UFABC (Foto: Reprodução/Correnteza).

Estudantes aprovaram, em assembleia, a criação de grupos de trabalho para acompanhar as principais demandas estudantis no retorno presencial.

Marcelo Pavão – Movimento Correnteza

____________________________________________

SANTO ANDRÉ – O Diretório Central dos Estudantes da UFABC organizou uma assembleia “Pelo Retorno Presencial, Seguro e Inclusivo e Pelo Fora Bolsonaro” junto a uma entrega de cestas básicas para estudantes e trabalhadores terceirizados da UFABC, como parte da Campanha de Solidariedade do DCE em denúncia à fome e à carestia que o povo brasileiro tem enfrentado sob o governo fascista de Bolsonaro.

Com a perspectiva do retorno das atividades presenciais em junho, a assembleia deliberou sobre as principais reivindicações dos estudantes como o fim do ensino remoto – que tem precarizado a educação e afastado os estudantes em situação de vulnerabilidade das universidades – e a garantia de permanência estudantil na volta aos Campi.

Além disso, a luta pela derrubada urgente do Governo Bolsonaro foi reconhecida como essencial para que a UFABC possa continuar funcionando plenamente no próximo período visto os sucessivos ataques do Governo Federal contra a educação.

Os estudantes aprovaram a criação de grupos de trabalho para acompanhar as principais demandas estudantis no retorno presencial – pelo ônibus fretado, restaurante universitário e moradia estudantil – e a criação do “Comitê Pelo Fora Bolsonaro-Estudantes Contra o Fascismo”, compreendendo que somente a luta pode derrotar o bolsonarismo e as investidas contra a educação e os direitos do povo.

O Movimento Correnteza, movimento estudantil que constrói as lutas junto aos estudantes da UFABC no DCE, Centro Acadêmico de BC&T e nos Conselhos Superiores, tem defendido o retorno presencial como condição para a luta por uma universidade popular, inclusiva e com políticas de permanência estudantil.

As representações discentes do Movimento Correnteza nos conselhos conquistaram para o próximo quadrimestre a garantia da volta do transporte intercampi (fretado), do restaurante universitário e estruturas como biblioteca e copas, além de subsídio de máscaras de alta filtragem para os estudantes que recebem auxílios socioeconômicos e a manutenção de regras pedagógicas mais flexíveis, semelhantes às aplicadas durante o ensino remoto.

Contudo, muitas conquistas estão em risco devido ao orçamento deficitário da UFABC. Se comparado ao primeiro ano de mandato do Governo Bolsonaro, as universidades federais possuem orçamento 12% menor para manterem suas atividades em 2022. Além disso, a Reitoria da UFABC já afirmou que não há verba suficiente para manter o transporte intercampi no terceiro quadrimestre do ano.

A única alternativa é a organização dos estudantes e a luta por um orçamento justo para a educação e pela derrubada desse governo já.

Não podemos aceitar a posição conformista e reacionária de permanecermos com as universidades fechadas enquanto o Governo Bolsonaro estrangula o orçamento público para garantir mais lucros aos ricos, nem cair na ilusão de que devemos esperar as eleições para que algo mude.

Devemos, sim, voltar às salas de aula e enfrentar nas ruas o projeto de desmonte da educação pública e mostrar a combatividade do movimento estudantil que Bolsonaro e seus aliados tanto temem. Fora Bolsonaro Já!

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes