UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 10 de dezembro de 2022

Carta: Por que a Unidade Popular?

Por essa base na realidade e na necessidade que dela surge, que a Unidade Popular é sim o partido do povo e para o povo e que efetivamente o conduzirá a uma realidade onde o poder e o controle sobre sua vida será seu e de mais ninguém.

Luis Almeida – militante da UP


SÃO PAULO – Frente a tantos debates e críticas, que vão desde a necessidade de mais um partido de esquerda à urgência de um voto útil, mesmo os mais aguerridos militantes podem se sentir vacilantes em sua escolha de construir um partido de luta como a Unidade Popular.

Isso não é necessariamente algo ruim, pelo contrário, devemos sempre estar atentos e críticos à nossa atuação política, para que estejamos sempre firmes e não vacilemos para o mecanicismo de nossas ações, apenas fazendo o que é passado sem convencimento próprio.

Entretanto, é importante que nossos pontos de vista sejam embasados na realidade material, sem espaço algum para ideias ou noções que se percam em ideais não fundadas nos fatos.

Justamente por isso, por essa base na realidade e na necessidade que dela surge, que a Unidade Popular é sim o partido do povo e para o povo e que efetivamente o conduzirá a uma realidade onde o poder e o controle sobre sua vida será seu e de mais ninguém.

Mas por que a Unidade Popular e não outro partido ou organização se mostra como o melhor? A UP realmente tem capacidade de construir o poder popular e o socialismo?

Primeiro, a UP se põe como o partido correto a partir de seu programa: construído coletivamente e a partir do acúmulo de uma gama de movimentos sociais; defende um programa para o povo e para o Brasil que é de longe o mais generoso que já vimos, colocando o destino do nosso país sob as rédeas totais do controle popular segundo uma democracia que seja efetivamente popular e de trabalhadores e não uma democracia de poucos, de elites e coronéis.

Junto disso, a UP coloca sua prática totalmente segundo seu programa e em serviço de transformar cada um de seus pontos programáticos em realidade. Isso se vê nos projetos que cada um dos movimentos sociais que constroem a UP coloca em ação todos os dias.

Quando o MLB constrói uma ocupação, está na prática fazendo valer a política de moradia integral e reforma urbana defendida pela UP. Quando o Movimento de Mulheres Olga Benário constrói uma casa de referência ou de passagem, está criando na materialidade um instrumento para o fim do machismo e das opressões contra as mulheres, ponto defendido no programa da UP. Quando o Movimento Correnteza ocupa reitorias e organiza paralisações e atos nas universidades públicas e privadas, está também cumprindo o programa da UP pela democratização total da educação e por uma universidade pública, gratuita e de qualidade.

Portanto, o que se vê é que o programa da Unidade Popular não se reduz a apenas alguns pontos programáticos que servem como meras diretrizes para a luta, mas é também um conjunto de metas a serem alcançadas e que efetivamente, pouco a pouco, tornam-se realidade a partir de cada luta construída pela militância da UP e dos movimentos sociais que a constroem.

Além disso, a certeza da Unidade Popular como o partido que irá conduzir o povo ao poder e ao socialismo está também no papel que cumpre quando constrói o poder popular ao mesmo passo em que impede o fascismo de crescer nas ruas e na mente de cada trabalhador.

Isso se dá pelo fato de que a UP, onde inicia um trabalho de base, gera capilaridade e integração entre si e aqueles que visa juntar para o partido. Isso é importantíssimo, pois cada mente atingida pelo trabalho da UP, ainda que não seja necessariamente um militante organizado, convence-se da necessidade de se apoiar a luta da classe trabalhadora e de que um governo só será legítimo quando o povo estiver nos espaços de decisão.

Cada pessoa atingida pelo trabalho da UP também deixa de apoiar e de cair no discurso da direita e do fascismo, que usa do populismo para se manter no poder e piorar a situação do povo. Deixa, ainda, de cair no discurso da social-democracia, que põe seu programa e sua prática em segundo plano frente a qualquer resistência das elites, e no lugar da luta apela para a conciliação, para um meio termo morno entre as vontades da burguesia e as demandas legítimas do povo.

Por fim, a Unidade Popular se mostra como o partido correto no seu crescimento consequente: a cada luta travada, mais e mais trabalhadores se ajuntam à UP pois veem que este é o partido que está do seu lado, e o partido cresce com qualidade.

Neste último período eleitoral de 2022, a UP cresceu como nunca e poderá lutar e conseguir ainda mais vitórias com cada vez mais braços e mãos de trabalhadores conscientes sobre a realidade e dispostos a travar uma incansável luta contra seus verdadeiros inimigos: a burguesia e as elites.

É por essas razões que eu escolhi a UP, é por essas razões que meus companheiros e amigos escolheram a UP, e é por essas razões que a classe trabalhadora tem escolhido a UP e a continuará escolhendo, rumo à construção do poder popular, rumo à construção do socialismo.

Outros Artigos

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes