UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 24 de abril de 2024

Unidade Popular e Movimento Luta de Classes convocam para o Primeiro de Maio

Confira o chamado da Unidade Popular e do Movimento Luta de Classes para as manifestações do Primeiro de Maio. 

Unidade Popular (UP) e Movimento Luta de Classes (MLC)


TRABALHADORES UNIDOS – Durante o governo Bolsonaro a classe trabalhadora sofreu com arrocho salarial e a enorme carestia dos alimentos. O desemprego atingiu 14,4 milhões de pessoas, o maior número desde 2012 e mais de 33 milhões de pessoas voltaram a passar fome.

A redução dos salários foi tão grande que hoje o salário mínimo, para suprir as despesas com alimentação, moradia, saúde, educação e os de seus entes queridos. Envolvido em
inúmeros escândalos de corrupção, o fascista recebeu milhões em propina na compra das vacinas e recentemente fez um verdadeiro assalto à joias doadas ao país, num valor de R$16,5 milhões. itens mais básicos para uma família, deveria ser de R$6.641,58. No entanto, o reajuste previsto para o salário mínimo a partir de maio de 2023 é para míseros R$1.320,00, insuficiente para repor as perdas do período golpista. Mas, além de rebaixar ao máximo os salários, Bolsonaro negou a vacina e é o real responsável por milhares de familiares estarem em luto até hoje pela perda.

Governando para os ricos e os banqueiros, o fascista Bolsonaro promoveu a famigerada Reforma da Previdência em 2019, aumentando a idade mínima e o tempo de contribuição para a aposentadoria. Também aprofundou a reforma trabalhista iniciada com o golpe e aplicou o teto de gastos, gerando uma redução brutal dos recursos da saúde e educação.

Denunciado por todos esses crimes cometidos e escorraçado nas ruas pela imensa maioria do povo brasileiro, o fascismo foi rejeitado nas urnas. No entanto, o facínora Bolsonaro e seus cúmplices, não aceitaram a vontade popular e tentaram dar um golpe no dia 8 de janeiro de 2023, ameaçando a democracia. Bolsonaro e os generais fascistas de hoje estão ligados aos golpistas e criminosos da ditadura militar de 1964-1985 e a impunidade do passado se desenvolve no presente. Por isso, defendemos a punição para os crimes de tortura, sequestros, estupros, assassinatos e ocultação de cadáveres de 1964 e dos dias
atuais. Por isso, defendemos a punição exemplar para Bolsonaro e seus cúmplices e a punição dos generais fascistas de 64!

Mas para banir de vez a ameaça golpista do nosso país é preciso além de esmagar o fascismo, resolver graves problemas estruturais da nossa economia e garantir melhoria imediata nas condições de vida do povo trabalhador. Para isso, é fundamental parar de entregar 46% do orçamento da União para o pagamento de juros e amortizações da dívida pública. O país precisa parar de enriquecer aos banqueiros e destinar mais verbas para a educação e a saúde pública de qualidade.

Devemos, ainda, lutar pela reversão das privatizações e a retomada do controle estatal dos recursos naturais do país. Só assim poderemos realizar vultuosos investimentos para tirar o país da crise. Assim, nosso objetivo maior é construir uma vida em abundância para a classe trabalhadora com a construção do Poder Popular e do Socialismo e a derrota definitiva do fascismo e do capitalismo.

Só a luta muda a vida!

Neste 1º de maio, devemos nos lembrar que o limite da jornada de trabalho só foi possível graças ao heroísmo dos operários de Chicago (EUA), assassinados em 1886 durante uma greve pela jornada de oito horas diárias, o que foi reconhecido mais tarde nas leis de vários países, provando que aquela luta não foi em vão!

A Unidade Popular (UP) e o Movimento Luta de Classes (MLC) reafirmam que só a luta da classe trabalhadora pode melhorar os salários e derrotar o fascismo no Brasil e no Mundo. Neste sentido, nos inspiramos no exemplo da greve dos metroviários de MG e na luta nacional da categoria contra a privatização; no exemplo da greve da Enfermagem, pelo cumprimento da Lei do piso salarial da categoria no Brasil; e, da luta dos Agentes de Limpeza Urbana da França, em greve por melhores salários. Seguiremos o exemplo da força da classe trabalhadora em luta!

Junte-se à luta do MLC por um sindicalismo classista e de luta. Filie-se à Unidade Popular para lutarmos pelo fim da exploração capitalista e pela construção da sociedade socialista, sem desemprego, sem miséria e sem fome.

Viva o 1º de maio e aos heróis de Chicago!

Pela punição de Bolsonaro e seus cúmplices fascistas!

Revogação das Reformas Trabalhista e Previdenciária Já!

Por aumento geral dos salários!

Você pode baixar o panfleto completo neste link.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes