UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 18 de maio de 2024

11 de agosto: estudantes vão às ruas contra os cortes na educação e pelo fim da reforma do Ensino Médio

A juventude deu seu recado e mostrou que segue mobilizada em defesa da educação pública de qualidade. O dia 11 de agosto marca a luta dos estudantes brasileiros que deram o sangue para construir esse país.

Isabella Gandolfi | Diretora da UBES


JUVENTUDE – Milhares de estudantes foram às ruas no último dia 11 de agosto, Dia do Estudante, para denunciar o sucateamento da Educação, os cortes orçamentários e exigir a revogação da reforma do Ensino Médio. O movimento também cobrou punição para Bolsonaro e seus cúmplices e o fim da política econômica em prol do mercado financeiro e dos ricos. 

“Mesmo a maioria das pessoas que participaram da consulta pública sendo contra a reforma do Ensino Médio, o Ministério da Educação insiste em ‘reformar a reforma’, fazendo pequenas mudanças na lei, mas mantendo sua essência. Nós, estudantes, estamos nas ruas do país inteiro para dizer um grande NÃO a essa reforma”, disse Nicole Viana, coordenadora geral da Federação Nacional dos Estudante de Ensino Técnico (Fenet). 

Dias antes do 11 de agosto, um novo corte de verbas da Educação foi anunciado, ainda reflexo da política de Teto de Gastos, aprovada pelo governo Temer e até hoje não revogada pelo governo Lula. Ao todo, 332 milhões de reais foram bloqueados da Educação. 

Manifestações em todo o país 

No Rio de Janeiro (RJ), estudantes e servidores públicos promoveram ato unificado da Candelária à Assembleia Legislativa. Uma das pautas presentes na manifestação, que também ocorreu em cidades do interior do Estado, foi o repúdio ao assassinato do jovem Thiago, de apenas 13 anos, morto durante mais uma operação policial na Cidade de Deus. 

Em Belo Horizonte (MG), o movimento se concentrou na Praça Afonso Pena, no Centro, com faixas e cartazes da AMES-BH e dos grêmios pedindo passe livre. O mesmo ocorreu em Vitória (ES), com grande presença de alunos da rede federal e estadual, que promoveram ato na praça Jucutuquara.

Em São Paulo (SP), cerca de três mil estudantes tomaram a Avenida Paulista e caminharam em direção à Secretaria de Educação. Estiveram presentes na manifestação os DCEs da USP, UFABC e IFSP, a Fenet, UBES, UNE e a Associação Regional dos Estudantes Secundaristas do ABC (ARES-ABC), além de dezenas de grêmios e CAs. De acordo com Isis Mustafa, diretora da UNE e militante da UJR, “foi fundamental estar nas ruas neste dia, primeiro para comemorar o aniversário de 86 anos da União Nacional dos Estudantes (UNE) e segundo para dizer ao governo que para governar para juventude e para os estudantes é preciso fazer uma política econômica que seja a favor do povo e não dos bancos e do agronegócio. Por isso, é urgente a revogação do Teto de Gastos”.

No Centro-Oeste, estudantes fizeram o ato na Praça Universitária, em Goiânia (GO), e na capital do país, Brasília, saíram do Museu Nacional em direção ao MEC, onde uma comissão de representações foi recebida pelo ministério.

Na região Sul, a União Florianopolitana dos Estudantes Secundaristas (UFES) organizou a manifestação no Largo da Alfândega, em Florianópolis (SC). Em Curitiba (PR), estudantes e trabalhadores se uniram contra o aumento da passagem e pelo passe livre no dia 11 de agosto. Já em Porto Alegre (RS), alunos das principais escolas e universidades da capital gaúcha foram às ruas contra o corte de verbas. 

No Nordeste, atos e manifestações ocorreram em Salvador, Feira de Santana e Vitória da Conquista, na Bahia, em João Pessoa (PB), São Luís (MA), Maceió (AL), Natal (RN), Fortaleza (CE), Aracaju (SE) e Recife (PE). “Esses atos foram importantes principalmente para reaquecer a luta contra a reforma do Ensino Médio e denunciar para a população os cortes de verba, numa perspectiva de crescer as mobilizações e, assim, conquistar a revogação do NEM e mais investimento nas nossas escolas”, explicou Ana Luiza, aluna do IFBA e Coordenadora Geral da Fenet. 

Por fim, na região Norte, estudantes foram às ruas em Manaus (AM), Boa Vista (RR) e Belém (PA), levando faixas e cartazes contra os cortes e a reforma, além de denunciar a intervenção na reitoria da Universidade Rural do Pará.

A juventude deu seu recado e mostrou que segue mobilizada em defesa da educação pública de qualidade. O dia 11 de agosto marca a luta dos estudantes brasileiros que deram o sangue para construir esse país. É nossa tarefa homenageá-los todos os dias, organizando cada estudante, grêmio, centro acadêmico, DCE e associação, sem abandonar jamais as ruas e as lutas.

Matéria publicada na edição nº 277 do Jornal A Verdade.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes