UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 20 de abril de 2024

Stálin, continuador das obras de Lênin

A obra “Fundamentos do Leninismo”, escrita em 1924 por Josef Stálin, consiste em nove palestras que ele proferiu na Universidade de Sverdlov naquele ano. Foi publicada pelo jornal soviético Pravda e sintetiza o que Stálin chamou de leninismo, o marxismo da época do imperialismo e da revolução proletária.

Igor Barradas | Redação RJ


TEORIA MARXISTA Os comunistas, em sua ação cotidiana, lutam para destruir o sistema capitalista, conquistar o poder político, construir o socialismo, implantar o comunismo e abolir as classes sociais. Para isso, aliam a prática com a teoria revolucionária. Após a morte de Marx e Engels, Lênin e Stálin foram os principais comunistas revolucionários que fizeram a teoria marxista avançar e a enriqueceram com novas experiências e lições diante das novas condições da luta de classes do proletariado. 

O marxismo-leninismo é a ciência social da classe operária, o desenvolvimento ulterior do marxismo, o marxismo nas condições novas da luta de classes do proletariado. É o marxismo da época da preparação das revoluções proletárias, da época do imperialismo e da época da vitória do socialismo um sexto da terra.

Desde o início de sua militância revolucionária, o camarada Stálin possuía confiança ilimitada nas capacidades de Lênin, seguindo o percurso que o líder bolchevique desenvolvia como seu mais fiel camarada de luta. Portanto, após a morte de Lênin, coube a Stálin a honrosa tarefa de “dedicar as páginas de sua literatura à propaganda leninista”. 

“Sobre os Fundamentos do Leninismo”

A principal contribuição de Stálin ao marxismo-leninismo veio a ser explicada com grande profundidade de pensamento, lógica e clareza na clássica obra “Sobre os Fundamentos do Leninismo”. Ela é um guia de formação política e de atividade para os comunistas de todos os países. Stálin define o livro como um “resumo sucinto dos fundamentos do leninismo”, pelo fato do assunto ser muito vasto e necessitar de uma série de livros para esgotá-lo.

Este livro não representa somente uma exposição dos pontos de vista de Lênin e sua poderosa contribuição à criação do Partido Bolchevique, da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e da III Internacional Comunista. Trata-se, na prática, de uma das maiores obras do marxismo criador, uma obra que faz avançar ainda mais a doutrina da libertação da classe trabalhadora. 

Ao ser questionado a respeito da significação do leninismo, Stálin caracterizou-o brilhantemente como sendo “o desenvolvimento ulterior do marxismo na época do imperialismo e da revolução proletária”. Nas palavras de Stálin:

“O leninismo é a teoria e a tática da revolução proletária em geral, a tática da ditadura do proletariado em particular. Marx e Engels militaram no período pré-revolucionário (referimo-nos à revolução proletária), quando o imperialismo ainda não estava desenvolvido, no período de preparação dos proletários para a revolução, no período em que a revolução proletária ainda não se tornará uma necessidade prática imediata. Porém, Lênin, discípulo de Marx e Engels, no período de pleno desenvolvimento do imperialismo, no período do desencadeamento da revolução proletária, quando a revolução proletária já havia triunfado num país, havia destruído a democracia burguesa e iniciado a era da democracia proletária, a era dos Soviets. Por isso, o leninismo é o desenvolvimento ulterior do marxismo.”

Em todo o livro de Stálin, do início até o fim, é realizada uma defesa dos princípios do comunismo, da ditadura do proletariado e de uma sociedade sem exploração do homem pelo homem. As nove palestras dirigidas pelo comunista dividem-se em tópicos diferentes tais como as raízes históricas do leninismo, o método do leninismo, a teoria revolucionária, a ditadura do proletariado, a questão camponesa, nacional, a estratégia e tática, o Partido e o estilo do trabalho leninista.

HOMENAGENS. Stálin continua a receber homenagens em todo o mundo, mesmo 70 anos após sua morte. (Foto: Reuters)

Dessa forma, a obra inteira é uma luta aguda contra o revisionismo e o reformismo nas fileiras do movimento comunista, que, com a palavra de ordem de “modernização do marxismo” trata de substituir sua essência revolucionária pela colaboração de classe. É o que explica Stálin, ao referir-se sobre o papel que o leninismo desempenha contra a traição e o oportunismo da II Internacional comunista:

“O traço característico da II Internacional era a separação que estabelecia entre a teoria e a prática; sem embargo, essa separação não significava outra coisa que uma das formas de subordinação da teoria oportunista à prática também oportunista. A dialética revolucionária é incompatível com o oportunismo da II Internacional, que, por todos os meios, toma confusa e altera a dialética da evolução social, a qual revela a inevitabilidade da morte do capitalismo e aponta a luta revolucionária do proletariado como única solução para a derrubada do capitalismo. A II Internacional procurava descobrir uma teoria filosófica que fundamentasse seu oportunismo político. A negação da dialética materialista pelos revisionistas significava o triunfo inevitável da filosofia burguesa dentro da II Internacional. (…) Coube ao leninismo a honra de executar essa revisão geral e essa limpeza geral nos estábulos de Augias da II Internacional.”

Ao contrário do que afirmam os revisionistas, Stálin deu grandes contribuições a teoria marxista-leninista. O livro “Sobre os Fundamentos do Leninismo” é a principal prova dessa realização.

Defender os fundamentos do marxismo-leninismo

Lenin e Stálin mantiveram de pé a união entre a teoria e a prática revolucionária do marxismo, que foi jogada no lixo pelos revisionistas ao abandonarem o socialismo. Em sua ação, Lenin e Stálin destruíram as teorias contrarrevolucionárias da II Internacional no interior do movimento comunista. Em lugar da inércia, do embelezamento do sistema capitalista e das guerras mundiais da burguesia, foi colocado o método crítico revolucionário de Marx, sua dialética materialista. 

EDIÇÕES MANOEL LISBOA. No Brasil, as Edições Manoel Lisboa lançaram a Obra fundamental de Stálin, escrita em 1924. (Fonte: JAV/RJ)

No Brasil, as Edições Manoel Lisboa vendem o livro Fundamentos do Leninismo, de Stálin. Apesar dos ataques dos reformistas ao marxismo revolucionário, o crescimento dos partidos e organizações marxistas-leninistas de todo o mundo comprovam a necessidade de “páginas dedicadas à propaganda do leninismo”. 

Nas palavras de Enver Hoxha, “Nenhuma força, nenhuma tortura, nenhuma intriga pode erradicar o marxismo-leninismo das mentes e corações dos homens.” Portanto, não há intrigas da burguesia, mentiras proferidas contra o leninismo e revolucionários que possam impedir o avanço da revolução socialista no Brasil e no mundo.

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes