UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

terça-feira, 21 de maio de 2024

Profissionais da saúde se unem contra o aumento da jornada de trabalho

Para exigir melhoria nas condições de trabalho e o fim da exploração dos trabalhadores, os sindicatos uniram forças em uma assembleia conjunta realizada no dia 14 de setembro, no Recife. Juntos, mais de 500 médicos, enfermeiros, odontólogos e auxiliares e técnicos de saúde bucal disseram não ao aumento da jornada para os sábados. Também foi enfatizada a defesa do SUS gratuito, universal e de qualidade.

Ludmila Outtes | Presidente do SEEPE


BRASIL – Nas últimas semanas, a Prefeitura do Recife anunciou uma proposta trazida pelo Ministério da Saúde de expansão da rede da Atenção Básica do município para garantir uma cobertura de 100% da população (hoje a cobertura é de apenas 59%). Maravilhoso, não fosse um Cavalo de Troia: junto com a novidade, veio a alteração da jornada de trabalho dos profissionais, aumentando de 5 para 6 os dias de trabalho na semana sem nenhum reajuste salarial!

Uma economia para a Prefeitura, que deixaria de pagar as horas extras realizadas, atualmente, aos sábados, à custa da exploração da classe trabalhadora. E também uma política eleitoreira no ano que antecede as eleições municipais.

A expansão da cobertura da Atenção Básica é mais do que necessária. É uma diretriz do Sistema Único de Saúde para garantir acesso universal à saúde pública, e por isso somos favoráveis ao aumento da cobertura. Porém, a forma como ela está sendo proposta pela Prefeitura é apenas cena, já que a rede existente hoje não conta com estrutura física e de equipamentos suficiente, além da falta constante de insumos e da demora na marcação e no resultado de exames. Essa proposta não amplia o número de unidades de saúde, apenas cria um rodízio entre os profissionais nos equipamentos já existentes, desconfigurando, inclusive, a política básica do SUS, que é a territorialização e o vínculo da população às equipes.

Precisamos lutar pela construção de novas unidades e melhorias nas já existentes, além de maior acessibilidade de toda a população aos serviços de saúde. Além disso, é necessária a garantia de segurança aos profissionais e usuários dos serviços, que hoje enfrentam uma situação de insegurança dentro e nos arredores das unidades em algumas comunidades. Recentemente, duas técnicas de enfermagem foram assaltadas dentro da sala de curativos do posto e até agora a Prefeitura nada fez para ressarcir as profissionais nem impedir novos roubos!

A união da classe pode mudar a situação

Para exigir melhoria nas condições de trabalho e o fim da exploração dos trabalhadores, os sindicatos uniram forças em uma assembleia conjunta realizada no dia 14 de setembro, no Recife. Juntos, mais de 500 médicos, enfermeiros, odontólogos e auxiliares e técnicos de saúde bucal disseram não ao aumento da jornada para os sábados. Também foi enfatizada a defesa do SUS gratuito, universal e de qualidade.

O Sindicato dos Enfermeiros e Enfermeiras de Pernambuco (Seepe) continua com a luta da categoria, unindo forças e ampliando a defesa da saúde pública e dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Assim, lançamos a palavra de ordem “Expansão sim, exploração não!” e seguiremos desenvolvendo ações pela valorização dos servidores municipais do Recife.

Chega de prejuízo aos trabalhadores!

 

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes