UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sábado, 13 de agosto de 2022

MOSTRANDO RESULTADOS PARA:

Três mulheres são vítimas de feminicídio em Mauá nas últimas duas semanas

Apesar do aumento de registros de violência contra a mulher e dos casos de feminicídio estampando as principais páginas de notícias da cidade, a...

Mulheres protestam contra o feminicídio em Búzios (RJ)

Os recorrentes casos de violência contra as mulheres em Búzios estão deixando a população feminina preocupada. Esse foi o segundo ato realizado na cidade para denunciar a violência contra as mulheres somente no mês de março.

A violência contra mulheres e a construção do Movimento Olga Benario em Suzano

Diante do crescimento da violência contra as mulheres e o machismo na cidade de Suzano, é necessário o crescimento, desenvolvimento e luta das mulheres...

Não somos propriedade masculina: basta de feminicídio!

Queremos justiça por Cláudia e por todas as mulheres vítimas da aliança capital-patriarcado, construiremos outra sociedade onde seremos livres da violência de gênero e da exploração do trabalho, a sociedade socialista.

Movimento luta por justiça contra mais um feminicídio em Cabo Frio

Na última segunda (15), Naimar Ferreira, moradora do bairro Itajuru, foi encontrada morta depois de dois dias desaparecida. Dados do último dossiê montado pelo...

Nota | “Justiça para Daiana! Basta de Feminicídio!”

Reproduzimos na íntegra a nota do movimento de mulher que afirma: “Esse não é um caso isolado, é a triste e trágica realidade de ser mulher em uma sociedade machista, patriarcal e capitalista. O Brasil é o 5º país mais violento para as mulheres no mundo!”

Lei contra a violência às mulheres é aprovada na Argentina

Mais uma vitória para o movimento de mulheres da Argentina que há anos luta pela aprovação de uma lei destinada às vítimas de violência. O movimento “Ni una Menos” (Nem uma a menos) começou com milhares de manifestações organizadas por diversos movimentos feministas, sindicatos, entidades estudantis, associações de bairros, partidos políticos que desde junho de 2015 fazem denúncias em ruas, escolas, universidades e bairros à crueldade da violência machista e dos feminicídios no país.

Trabalhadora é atingida no rosto na frente do filho de 5 anos pelo ex-marido

O Alto-Tietê já registrou em 2018 474 pedidos de medida protetiva. Só no primeiro semestre de 2019 foram 382. Esses dados remontam uma velha tradição patriarcal no Brasil que precisa urgentemente ser superada através da emancipação total da mulher trabalhadora, pois recentemente tivemos mais um caso bárbaro que remonta essa estatística.

Mulheres realizam ato político em Viçosa pelo fim da violência

Movimento de Mulheres Olga Benário realizou um ato político em defesa da vida das mulheres e contra a violência em Viçosa. Mesmo com os...

Novidades