UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 6 de outubro de 2022

MOSTRANDO RESULTADOS PARA:

Prefeito de Macaé decreta retorno às aulas sem diálogo com sindicato e estudantes

Entidades estudantis elaboraram documento apontando ao menos 16 falhas na proposta da Prefeitura. Entre eles, estão a “autofiscalização” das escolas privadas, as dificuldades no transporte dos estudantes e profissionais, a flexibilização do uso de máscara entre crianças de até 12 anos e erros na orientação da Prefeitura para o horário da alimentação na escola.

Estudantes cariocas protestam pela volta do passe universitário

Entidades e lideranças do movimento estudantil querem que Prefeitura libere o Bilhete Único Universitário, bloqueado desde o início da pandemia.

Enem: governo põe vida de milhões de estudantes em risco

“A Justiça Federal suspendeu a realização das provas no Amazonas, dada a situação crítica da pandemia nos municípios do estado, onde a população sofre com hospitais lotados, falta de cilindros de oxigênio, e equipamentos de proteção individual para os profissionais da saúde.”

União da Juventude Rebelião realiza encontro estadual na Bahia

“Depois da chegada do destacamento que participou da luta dos trabalhadores, o plenário ficou mais entusiasmado em debater as formas de organização da juventude revolucionária baiana.”

Ato contra a intervenção de Bolsonaro na Universidade Federal do Piauí

“Mais uma vez Jair Bolsonaro vem fazendo o desmonte na educação, assim como o Reitor empossado que não foi eleito pela comunidade acadêmica e muito menos pelo Conselho Universitário. Nós não aceitaremos um reitor que de fato não foi eleito, não aceitaremos um golpe na nossa Universidade!”

Entidades estudantis da UFABC realizam campanha contra a pornografia

No final de julho deste ano, chegou ao conhecimento da comunidade acadêmica vídeos de conteúdo pornográfico protagonizados por Flamarion Ramos, professor de ética e filosofia política da Universidade Federal do ABC, com a temática aluna-professor encenado em uma sala de aula. Para as estudantes, ao participar da produção desses vídeos, o professor demonstra como enxerga a sua relação com as discentes causando constrangimento e insegurança às mulheres da instituição.

Movimento Correnteza constrói ato contra cortes na educação

Desde o início do seu governo, Bolsonaro vem se colocando como inimigo da educação. O ano de 2019 foi marcado pelo enfrentamento aos cortes de 30% nos orçamentos e para 2021 a projeção é de uma redução de 17,5% no orçamento das universidades, o que significa 18% a menos em assistência estudantil.

Universidades privadas discriminam estudantes pobres e lucram durante pandemia

Para militantes da União da Juventude Rebelião (UJR), contudo, “a mercantilização da educação e a precarização do ensino não surgiram com a Covid-19. As políticas neoliberais e de austeridade implantadas nos últimos governos e aprofundadas por Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (sem partido) obedecem aos interesses dos grandes empresários, que lucram bilhões com a privatização do ensino, e consolidam um oligopólio no Brasil através da transformação de um direito em mercadoria.”

DCE da UFABC promove campanha contra cortes na educação

Reproduzimos o manifesto de denúncia do Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal do ABC (UFABC) em relação aos cortes na educação brasileira e as atuais contradições que circundam o Ministério da Educação (MEC).

A luta dos estudantes no RN contra a exclusão do ensino

Por Ezequias Rosendo NATAL – Durante todo o mês de junho, a União dos Estudantes Secundaristas Potiguares (UESP) iniciou uma campanha contra a adesão das...

Volta às aulas em setembro é ameaça para a saúde dos estudantes

O novo coronavírus apresentou uma ameaça séria ao nosso povo já no começo de sua propagação no país. No mês de março, às aulas presenciais da rede estadual de São Paulo foram suspensas, retornando posteriormente com o ensino remoto, cujo o suposto papel era garantir o aprendizado durante o isolamento social. Apesar da grande propaganda do Governo Dória (PSDB) sobre os supostos esforços para garantir que todos tivessem acesso, na prática apenas 1,6 milhões de estudantes dos 3,6 milhões utilizaram a plataforma do estado (isso representa 44,4% dos estudantes). Essa é uma evasão grande e ainda não se sabe quantos desses estudantes vão de fato voltar a frequentar a escola.

Novidades