TwitterFacebookGoogle+

Cinco anos do assassinato de Gustavo Salgado

Militante conhecido por sua coerência entre o dizer e o fazer. Um exemplo de convicção de luta, porque levou a mensagem revolucionária até o último suspiro de sua existência. Caindo heroicamente pela causa comunista.

Vanguardia Proletaria


Foto: Reprodução/Vanguardia Proletaria

CIDADE DO MÉXICO – Na tarde de 3 de fevereiro de 2015, o camarada Gustavo Alejandro Salgado Delgado, também conhecido como “camarada Ivan”, membro do Comitê Central da Frente Revolucionária Popular (RPF) e do Partido Comunista do México Marxista-Leninista (PCM-ML), dirigiu-se para um  encontro no município de Ayala, no Estado de Morelos, durante seu trajeto, terminou desaparecendo por ordens do Estado mexicano com a cumplicidade da polícia  local e estadual. Um dia depois, seu corpo sem vida foi encontrado com muitos sinais de tortura.

O camarada Gustavo Salgado, durante sua vida, desenvolveu uma luta tenaz e intransigente em defesa dos mais pobres, prova disso, foi a luta que ele desenvolveu com trabalhadores agrícolas, com os camponeses, com os professores, com os jovens e organizações sociais pelos direitos fundamentais do povo. Seu objetivo era para aumentar o nível de conscientização e participação da classe trabalhadora. E foi justamente, por lutar de forma incansável por um mundo de justiça social e igualdade, que o camarada Gustavo Salgado, foi brutalmente assassinado pelas forças repressoras da burguesia, estas foram as razões que levaram o regime a executar esse crime astuto e hediondo com requintes de crueldade contra um dos militantes mais  consequentes e comprometidos que passou por nossas fileiras.

Cinco anos se passaram desde que milhares de mulheres e homens tomaram as ruas em todo o país e além de nossas fronteiras, para suscitar o clamor da justiça. Com a ampla mobilização do povo exigindo justiça, ocorreu a prisão de quatro dos principais autores do crime. Porém, até agora, cinco anos se passaram e vários autores materiais e intelectuais do crime, seguem impunes. Muitos destes, até hoje ocupando cargos públicos na região e que por sua vez administram recursos públicos milionários para trabalhos brilhantes que a “Quarta Transformação” ( seria um período de mudanças estruturais profundas no campo social e forma pacífica ) que na realidade, servirá para que  o México permaneça como está e os poderosos continuem consolidando suas máfias através de mandos e desmandos. Apesar dessas condições adversas, a organização proletária e popular resistiu e resistirá à ofensiva do estado, hoje a Comunidade Proletária Gustavo Salgado Delgado, no município de Ayala, elevando o nome de nosso camarada, exibe as bandeiras da revolução e do socialismo.

Quem Luta Não Morre Jamais!

O legado de homens e mulheres como Gustavo ultrapassa barreiras como o tempo, países e alcança gerações e se expressa nas lutas que travamos diariamente por melhores condições de vida e contra a exploração do sistema capitalista sobre a classe trabalhadora. São lutas atuais e vindouras, os mais de 40 anos da PCMML e quase 20 anos da RPF são provas vivas, são para nós, uma expressão de boa parte da história das lutas proletárias no México que carregam o sangue Vermelho dos caídos na estrada.

Foto: Reprodução/Vanguardia Proletaria

Nas atuais condições em que o regime do então presidente Andrés Manuel López Obrador, tem feito é de repressão aos povos e aos trabalhadores, através de vários ataques pretende e tenta deslegitimar a organização social do povo. Portanto, é necessário travar lutas como as desenvolvidas pelo camarada Gustavo, pois nessas lutas se expressam as verdadeiras lutas que o povo viveu e vive para transformar suas condições de vida. É ainda, indispensável, denunciarmos, o verdadeiro caráter destes falsos governantes que através do oportunismo aproveitaram junto a socialdemocracia que hoje pretendem desempenhar o papel de “esquerda”, seguem iludindo a classe trabalhadora, enquanto os crimes contra verdadeiros combatentes que tombaram na luta permanecem impunes.

Essa luta segue e será consequente até o fim. É a luta de todo um povo. Uma luta pelas novas gerações e por nós que permanecemos nas fileiras por onde o camarada Gustavo passou nos dias 3 e 4 de fevereiro, seguimos lutando  Porque a cor do sangue nunca é esquecida!

Gustavo Vive!

Militante conhecido por sua coerência entre o dizer e o fazer. Um exemplo de convicção de luta, porque levou a mensagem revolucionária até o último suspiro de sua existência. Caindo heroicamente pela causa comunista. Pois, mesmo diante do seu assassinato, segue sendo exemplo incontestável de luta, de firmeza ideológica, na luta de classes e na luta contra o estado terrorista do México. Quadro do partido comunista e dirigente da Frente Popular Revolucionária, também era organizador político e dirigente de núcleos populares de Morelos, Guerrero e Oaxaca.

Proletários de todos os países unidos!

Print Friendly, PDF & Email
pvc_views:
48

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações