TwitterFacebook

Unidade Popular sai fortalecida de sua primeira eleição em Florianópolis

CANDIDATURAS DO POVO – Julia Ew e Matheus Menezes representam a Unidade Popular em Florianópolis (Foto: Reprodução /Jornal A Verdade)

A falta de recursos não impediu a UP de colocar seu programa de propostas nas ruas. Feita de madeira reciclada, canos, megafone e caixa de som, a Tribuna Popular foi o palco de denúncias, agitação e propaganda do partido.
Júlia Andrade Ew e Matheus Menezes

FLORIANÓPOLIS (SC) – Sem tempo de TV ou rádio, sem fundo partidário e com a menor porcentagem do fundo eleitoral do país, as campanhas da Unidade Popular Pelo Socialismo (UP) em sua primeira participação eleitoral foram verdadeiras demonstrações de força, disciplina e entusiasmo. Em Florianópolis não foi diferente, numa campanha que se caracterizou como uma verdadeira guerra contra o fascismo na cidade.

Na capital de Santa Catarina, o estado que mais votou em Bolsonaro, a UP conquistou 575 votos do povo em suas candidaturas proporcionais, o que representa 0,25% do eleitorado total da cidade, que tem 508.826 habitantes. Em sua primeira campanha no município, a UP já fez uma votação significantemente mais expressiva que partidos consolidados como PSTU, PCB, PV e AVANTE.

Esse resultado expressivo em um dos estados em que o partido é mais recente é fruto de um incansável trabalho político por parte da direção e da militância do partido, que fez uma campanha de olho no olho, conversando e visitando centenas de pessoas, apresentando para além das candidaturas, o programa do partido, as lutas dos movimentos que o compõe e o jornal A Verdade: mais de 700 jornais foram vendidos durante a campanha e pré-campanha nas ruas, e muitas pessoas assinaram o jornal para continuar em contato com a mídia popular. Pode-se dizer que boa parte dos eleitores de Florianópolis é composta por leitores do jornal A Verdade.

JORNAL A VERDADE – Imprensa popular foi fundamental para organizar as eleições em Florianópolis. (Foto: Jornal A Verdade)

Enquanto grande parte dos partidos, inclusive de esquerda, se detiveram prioritariamente em uma campanha de redes sociais, a UP consolidou suas bases nas ruas. O sentimento de rejeição aos partidos burgueses e ao governo federal impulsionou ainda mais a campanha da Unidade Popular, partido declaradamente antifascista, antirracista, antimachista e socialista!

Tribuna Popular

A falta de recursos não impediu a UP de colocar seu programa de propostas nas ruas. Feita de madeira reciclada, canos, megafone e caixa de som, a Tribuna Popular foi o palco de denúncias, agitação e propaganda do partido. Situada numa das principais esquinas de Florianópolis, foi na Tribuna que se viraram votos, fizeram contatos e filiações. Se a justiça burguesa fechou as portas ao partido dos pobres em sua primeira aparição eleitoral, nas ruas o debate aconteceu de forma aberta, sincera e objetiva: combatendo o bolsonarismo, os partidos oportunistas e milionários, divulgando a alternativa dos trabalhadores, mulheres e estudantes!

MATHEUS MENEZES – Candidato pela Unidade Popular, Matheus é um jovem revolucionário, preto, pobre e da Periferia. (Foto: Jornal A Verdade)

Lutas na Cidade

Durante a campanha, Florianópolis foi palco de diversas lutas. Apesar das políticas de maquiagem do prefeito reeleito, não foram poucas as vezes em os trabalhadores da cidade saíram às ruas em protesto. A começar com as manifestações dos movimentos populares de moradia e ocupações urbanas contra a política de despejos do prefeito Gean Loureiro (DEM), que com seu Projeto de Lei Complementar (PLC) 1801 busca, ainda hoje, legalizar despejos sumários, sem mandado judicial, em plena pandemia. A Unidade Popular e o MLB (Movimento de luta nos bairros vilas e favelas) marcaram presença na resistência pelo despejo zero.

LUTA NACIONAL – Unidade Popular participou da campanha do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) contra os despejos. (Foto: Jornal A Verdade)

Em um intervalo de 30 dias, duas crianças foram executadas pela PMSC nas periferias: Marcos (15 anos) e Naninho (12 anos) que moravam, respectivamente, no morro do Quilombo e na Costeira do Pirajubaé. Até hoje, três atos foram organizados pelos familiares de Naninho. Contra a política de extermínio de pretos e pobres de SC, a UP e o Jornal a Verdade estiveram presentes no protesto, se somando ao grito de revolta dos familiares, que foi brutalmente reprimido pela PMSC.

LUTA POR JUSTIÇA – Unidade Popular denunciou a violência policial e o genocídio da juventude nas favelas. (Foto: Jornal A Verdade)

Depois da absolvição de André Camargo Aranha, empresário que estuprou Mari Ferrer, dois atos em defesa da vida das mulheres e exigindo justiça por Mari Ferrer aconteceram na capital catarinense. A Unidade Popular, juntamente ao Movimento de Mulheres Olga Benário, somou-se também nessa batalha, contra a impunidade cedida aos homens ricos, contra a cultura do estupro e o machismo.

PELO FIM DA CULTURA DO ESTUPRO – Mesmo durante as eleições, a Unidade Popular participou em conjunto com o Movimento de Mulheres Olga Benario do ato por justiça para Mariana Ferrer. (Foto: Jornal A Verdade)

Além da falta de política habitacional, do racismo, violência policial e machismo, a UP em sua primeira campanha também denunciou o estado precário de trabalho de milhares de trabalhadores de Florianópolis que, pela falta de oportunidades, vivem de bicos e da informalidade. É o caso de jovens, grupos indígenas e centenas de imigrantes, que diariamente enfrentam racismo e a fiscalização da guarda municipal e da polícia, muitas vezes chegando até a serem presos e tendo seus materiais apreendidos pelo simples fato de estarem trabalhando.

Pudemos, ao longo de nossa campanha, travar lutas, fazer denúncias e lançar propostas, organizar e conhecer muitas novas pessoas, o que faz da primeira campanha da UP em Florianópolis uma campanha vitoriosa!

Próximos Passos

Nossa luta não se resume às urnas! Com um governo anti-povo do DEM reeleito, muitas serão as lutas que devemos travar em Florianópolis. Hoje, convidamos a todas e todos a comparecer quinta-feira pela manhã na esquina da Jerônimo Coelho com a Conselheiro Mafra, esquina da Tribuna Popular, para informar ao nosso povo o resultado e nossa avaliação das eleições, agradecer a todos os que nos apoiaram e apontar próximos passos de nossa organização!

Convidamos igualmente todas e todos os filiados e simpatizantes da Unidade Popular para no próximo fim de semana, no sábado dia 21, realizarmos uma plenária de avaliação da participação da UP nas eleições, organizarmos os próximos passos e avançar rumo ao poder popular.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações