TwitterFacebook

Solidariedade com a luta do povo colombiano

ENFRENTEMANETO – Povo colombiano realiza manifestações contra pacote econômico liberal. (Foto: Luiza Gonzalez)

Comitê Coordenador – Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxista-Leninistas

INTERNACIONAL – Um novo surto social contra as políticas antipopulares da burguesia ocorreu, desta vez na Colômbia.

Milhões de trabalhadores, camponeses, jovens, mulheres, desempregados, artistas, aposentados, moradores de bairros paralisaram o país com um protesto militante que começou em 28 de abril e continua, apesar das dezenas de lutadores e lutadores mortos pelas forças da ordem, as centenas de feridos, torturados, espancados e até agredidos sexualmente. O Exército e a Polícia responderam com a sua habitual política belicista, para enfrentar aqueles que consideram ser o inimigo interno.

A contundência do protesto, que até superou as previsões das organizações que convocavam a greve da 28A, obrigou o governo de direita de Iván Duque a retirar a proposta de lei de reforma tributária que, cinicamente, a colocou sob o nome de “Solidariedade Sustentável “. Pretendia-se incrementar e elevar os impostos sobre os salários e o consumo, que afetam principalmente os setores populares e médios da população, enquanto o Governo tem tomado medidas para reduzir os impostos sobre o rendimento das grandes empresas.

A reforma tributária não foi aprovada, a mobilização popular obrigou à renúncia do ministro da Fazenda, Alberto Carrasquilla – o cérebro cinza do projeto – e Duque pediu um “diálogo nacional” para superar a crise, mas a luta continua. O povo colombiano não desiste, está desafiando um Estado autoritário e abertamente repressor, no qual é público que militares, policiais e chefes de segurança compartilham ideias fascistas, trabalham sob a tutela do aparelho de inteligência dos Estados Unidos, são promotores de grupos paramilitares e têm vínculos com o tráfico de drogas. Esta luta é um claro exemplo de que, quando as maiorias populares se unem e lutam, repelem o mais feroz dos inimigos.

A massividade, amplitude e combatividade do protesto expressam o grau de insatisfação e frustração das pessoas com suas condições de vida: cerca de 10% de desemprego aberto, 50% das pessoas trabalham no setor informal; um dos países com maior índice de deslocados internos devido à pobreza, violência e insegurança geradas pelo Estado; uma população duramente atingida pela pandemia e um governo incapaz de articular um plano de vacinação adequado; o país com o segundo maior orçamento militar da América Latina; um país em que no primeiro trimestre deste ano ocorreram 23 massacres e em 2020 mais de 250 camponeses, líderes populares, sindicalistas, líderes comunitários foram assassinados. Em novembro de 2019, o povo colombiano já tinha dado um forte alerta com um protesto social massivo e combativo; em geral as reivindicações, as mobilizações de distintos setores populares são constantes.

Expressamos nossa solidariedade a esta luta e apelamos que se continue nos diferentes países a levantar ações de solidariedade com o povo e condenação ao governo de Ivan Duque pela repressão criminosa desencadeada contra o povo. Nos unimos à demanda pela renúncia do Presidente Iván Duque.

Juntamo-nos aos camaradas e dirigentes do Partido Comunista da Colômbia (Marxista-Leninista) que estão na primeira fila do combate.

Denunciamos que os setores mais reacionários do Estado colombiano: Uribe, Duque, chefes militares e policiais, consideram o protesto social e seus atores como ações de guerra, como acontecimentos que buscam “desestabilizar o poder e acabar com a democracia . “Sob essa lógica, eles responderam com fúria e ódio às demandas do povo. As forças da ordem estão em estado de guerra contra o povo, o qual repudiamos e chamamos a condená-lo em todo o mundo.

Comitê Coordenador – Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxista-Leninista (CIPOML).

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações

%d blogueiros gostam disto: