UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Fascistas atacam a tiros bar tradicional de estudantes em Campinas

Na última sexta-feira,6, Homens vestindo coletes de um moto clube e roupas com símbolos nazistas realizaram um violento ataque a tiros no tradicional bar de estudantes de Campinas, o Bar do Ademir, próximo à moradia da Unicamp. Mesmo após os donos não reagirem à agressão, um dos homens sacou a arma e efetuou de 2 a 3 disparos para cima e logo em seguida fugiu juntamente com os demais num carro de luxo.

Redação Campinas


CAMPINAS – Homens vestindo coletes de um motoclube e roupas com símbolos nazistas realizaram um violento ataque a tiros no tradicional bar de estudantes de Campinas, o Bar do Ademir, próximo à moradia da Unicamp, nesta última sexta-feira, 6.

Os fascistas chegaram no local por volta das 22h50 e com o local cheio de pessoas tiveramatitudes racistas com os trabalhadores do bar, em sua maioria negros. Em seguida os donos do bar, também negros, com objetivo de apartar a confusão, interviram na situação, e passaram a ser agredidos, enquanto um dos homens do grupo fazia menção de estar armado na cintura.

Todos presentes ao verem a ameaça do ataque se esconderam nos banheiros, nos fundos do bar e no balcão, buscando se proteger.

Mesmo após os donos não reagirem à agressão e a situação estar aparentemente mais calma, o homem com colete de um grupo de motoclube, sacou a arma e efetuou de 2 a 3 disparos para cima e logo em seguida fugiu juntamente com os demais num carro de luxo.

Relatos de vários presentes circulam por grupos de Barão Geraldo (distrito da cidade de Campinas) com informações sobre o ocorrido, sobre a identificação destes fascistas e em solidariedade às vítimas agredidas. Dois dos três fascistas foram presos em Paulínia, cidade próxima, e os estudantes da Unicamp já se organizam para realizar uma coleta de relatos das testemunhas do ocorrido para pressionar a manutenção da prisão dos responsáveis. Além disso, também foi encaminhada uma assembleia do DCE da Unicamp para debater a construção de um ato de repúdio e resistência frente à situação.

A fascistização de parcela da sociedade brasileira, ocorre em especial pela legitimação dessa ideologia por meio do presidente Jair Bolsonaro e seus aliados empresários, militares e religiosos fundamentalistas, que incentivam a violência contra o povo trabalhador, incentivam o armamento da sociedade e financiam grupos paramilitares fascistas e nazistas a existirem e ampliarem sua atuação.

O combate a essa realidade se dá com os milhões de trabalhadores deste país tomando as ruas em grandes mobilizações exigindo a prisão de Bolsonaro e seus aliados genocidas, organizando o sepultamento do fascismo e das ideologias burguesas e reacionárias, e construindo uma sociedade de um novo tipo, alicerçada na solidariedade da classe trabalhadora, que recusa este tipo de ideologia em curso no país, construindo o poder popular e o socialismo

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes