UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

Crime socioambiental: Governo da Bahia concede 20% da Ilha de Boipeba para empreendimento de luxo

Leia também

Gustavo Rebelo

Movimento Luta de Classes (MLC) – Bahia

MEIO AMBIENTE – A Costa do Dendê é uma das regiões mais bonitas do litoral baiano e brasileiro. Deslumbrantes paisagens tropicais, com praias de águas mornas e tranquilas, coqueirais e manguezais, chamam a atenção de turistas no mundo todo, que visitam o local em busca de lazer e descanso. Isso foi o suficiente para despertar a cobiça do mercado hoteleiro,  que através de relações sórdidas com autoridades municipais e estaduais, vem avançando violentamente sobre a região.

No dia 07 de março, o INEMA (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), órgão responsável pela política ambiental do estado da Bahia, baixou a portaria 28.063/2023, autorizando a construção do mega empreendimento turístico-imobiliário Ponta dos Castelhanos, localizado em uma das regiões mais preservadas da Ilha de Boipeba. Esse projeto ocupará 16.507.752,11 m², o que equivale a 20% da área total da ilha, suprimindo grande parte da mata original. Serão construídos para o desfrute dos endinheirados um aeródromo, 67 lotes residenciais, 02 pousadas com 25 quartos e 25 casas assistidas em cada uma delas e um píer para embarcações de médio porte. O projeto original conta até mesmo com um campo de golfe!

Em “compensação” ao enorme impacto desse projeto multimilionário, serão destinados irrisórios R$183.375,00 à “Implementação de Programa de Educação Ambiental e Elaboração de Projeto Socioambiental”. Ou seja: a privatização e devastação de um quinto de Boipeba em troca de migalhas para limpar a imagem dos capitalistas e suas marionetes políticas.

O MPF, já em 2019, recomendou a interrupção do processo de licenciamento ambiental, argumentando que o empreendimento irá descaracterizar o modo de vida das comunidades tradicionais, privando-lhes o acesso aos locais que utilizam por gerações para a pesca e o extrativismo.

A empresa Mangaba Cultivo de Coco, uma das responsáveis pelo projeto, tem como sócios o banqueiro e ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e o herdeiro do Grupo Globo José Roberto Marinho. Apesar do simpático nome, seus interesses não são nada nobres. Em entrevista ao portal “O Eco”, o presidente da associação de moradores Raimundo Esmeraldino enfatizou de forma clara:

“Nunca plantaram um pé de coco, nem de mangaba, nada. Pelo contrário, querem tirar os pés da mangaba que são parte de nossa renda e alimentação”.

More articles

13 COMENTÁRIOS

  1. Importante denúncia! O capitalismo passa por cima dos modos de vida tradicionais e do nosso patrimônio paisagístico se não for impedido. Mas faltou Nomear os Governadores e Partido do estado (Jerônimo Rodrigues e Rui Costa o antecessor, ambos do PT Bahia). Crítico política tem que ter nome e endereço…

  2. Lastimável, revoltante, muito triste ver a natureza sendo destruída; uma comunidade sendo engolida para atender interesses de grandes e nefastas empresas, com o conluio da vergonhosa classe política desse país. Pergunto como e por quem essa comunidade está sendo assistida para enfrentar esse sistema destruidor de vidas? Em que posso contribuir, além de assinar abaixo-assinados em prol da natureza e das vidas que ali sempre estiveram?

  3. Me chama atenção a fala do presidente da associação de moradores, além de destruir a mata nativa, a elite brasileira age, ainda hoje, como colonizadores de terras, extraindo suas riquezas, devolvendo migalhas ao seu povo. Nunca plantaram um pé, Senhor Raimundo, nem vão plantar! Grandes investimentos como esse poderiam ser sinônimo de ascensão para toda a população, mas não é isso o que vemos. A elite econômica e política do nosso país, em sua maioria, aporofóbica, não consegue superar o tempo obscuro da colonização, seu rastro de violência, destruição e dominação dos povos nativos.

  4. O nome dos responsáveis pelo projeto, dito no fim da matéria já mostra o que existe nos bastidores dessa negociação, ouvimos manifestações nas ruas pelo meio ambiente? Não. Bem triste.

  5. É uma falta de respeito com nossa mata atlântica.
    Já não bastasse o desmatamento da nossa Amazônia agora o pouco de reserva da nossa mata atlântica querem se curvar diante deste capitalismo selvagem.. que não respeitam nada nem o ser humano, muito menos nosso meio ambiente em cujo qual moramos.. estou à disposição em caso assinar alguma petição para impedir este descaso, este CRIME CONTRA À NOSSA MATA ATLÂNTICA..

  6. Mizeraveis exploradores , gananciosos e destruidores da natureza.. e o governo certamente vai ganhar algo por fora. Caso contrário estaria tentando embargar. A justiça de Deus não falha.. esse mau não vai prevalecer.

  7. É preciso que todos se unam para evitar esse absurdo!! Será uma catástrofe ambiental planejada. Permitir essa licença é um “desgoverno”.

  8. Lastimável e revoltante.
    Será uma catástrofe ambiental!
    A natureza desse local é tão perfeita.
    Vão acabar com tudo!
    A parceria mais suja!

  9. ainda está em tempo de a comunidade não aceitar isso! Vão todos juntos pro lugar onde querem cometer essa atrocidade e não deixar que comecem o desmatamento. Sejam fortes e corajosos, não arredem o pé, isso não pode acontecer.

  10. Terceira vez em.Boipeba.
    Se esse empreendimento sair, não volto mais e não recomendo.
    Vai adiantar? Não!
    Capitalismo e politicagem vão ganhar.
    Vergonha

  11. É importante salientar que as pessoas envolvidas neste golpe contra a vida, e a favor dos empoderados estão levando uma fatia desse paraíso e ou uma grande quantia monetária, seria mais assertivo fazer uma auditoria dos que autorizaram esse desrespeito e invasão dos direitos de todos. Se é área da UNIÃO é união e não o contrário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos artigos