UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 24 de abril de 2024

MOSTRANDO RESULTADOS PARA:

Unidade Popular sai fortalecida de sua primeira eleição em Florianópolis

A falta de recursos não impediu a UP de colocar seu programa de propostas nas ruas. Feita de madeira reciclada, canos, megafone e caixa de som, a Tribuna Popular foi o palco de denúncias, agitação e propaganda do partido.

Mulheres da UP foram as mais bem votadas em Mauá

Gabriela Torres foi a mulher mais bem votada para vereança, tendo inclusive mais votos do que 3 vereadores que de fato ocuparão as cadeiras. Injustamente, Gabriela não poderá exercer seu mandato como vereadora e a câmara municipal continuará sem mulheres ocupando o espaço de poder.

A farsa da democracia Norte-Americana

“No fim do dia, o eleitor norte-americano escolhe entre dois lados da mesma moeda, visto que as eleições não apresentam propostas concretas de mudança na sociedade, mas são, em sua maioria, de revisão de reformas já aprovadas e de emendas à constituição.”

Unidade Popular lança candidata a prefeita em Mauá e chapa de vereadores em São Paulo

Com o lema “Chega de sufoco! Por uma Mauá dos trabalhadores!”, a Unidade Popular lançou a candidatura de Amanda Bispo a prefeita da cidade do ABC Paulista, tendo Felipe Galisteo como seu vice. A chapa ainda conta com duas candidaturas à Câmara: Gabriela Torres, coordenadora da Casa de Referência Helenira Preta e militante do Movimento de Mulheres Olga Benario, e Matheus Troilo, coordenador da Ocupação Manoel Aleixo e militante do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB).

Unidade Popular presente em várias cidades de Pernambuco

“Essa será a primeira eleição disputada pela UP, um partido construído nas ruas, praças, bairros, ocupações, fábricas, universidades e trens, e nascido da luta da classe trabalhadora e do povo pobre contra a exploração capitalista, que se manifesta, entre outras formas, pelo racismo existente em nossa sociedade”, afirma Leonardo Péricles, presidente nacional da Unidade Popular.

Candidaturas populares e revolucionárias da Unidade Popular na Bahia

A Unidade Popular (UP) disputará as eleições municipais em importantes cidades na Bahia. Na capital Salvador, o partido aprovou as candidaturas de três lideranças populares de muito potencial, verdadeiros filhos do povo baiano, que concorrerão à Câmara de Vereadores: Eslane Paixão, mulher negra revolucionária, Victor Aicau, coordenador do MLB e importante militante da luta por moradia, e Josy Oliveira, mãe lutadora que está na batalha pelo fortalecimento da saúde pública para o povo.

Unidade Popular lança candidaturas populares para Prefeitura e Câmara de Goiânia

A militância da Unidade Popular, consciente dos desafios e de suas tarefas nessas eleições municipais, que ocorrerão num cenário de pandemia do coronavírus e de aprofundamento da crise capitalista em nosso país, realizou, no dia 05 de setembro, a Convenção Municipal que homologou o nome do companheiro Fábio Junior como candidato à Prefeitura de Goiânia (GO) e delegou ao Diretório Municipal a indicação do nome para a vice da chapa majoritária. Além disso, aprovou uma chapa de combatentes das lutas populares e estudantis para concorrer à Câmara Municipal: Rebeca Galgaro, Leticia Scalabrini e Antonio Altenir. No dia 16 de setembro, a direção da UP aprovou o nome da companheira Allyne Marinho para concorrer como vice-prefeita.

Unidade Popular lança candidaturas em Fortaleza

A 2ª Convenção Eleitoral da Unidade Popular no Ceará, realizada no último dia 5 de setembro, aprovou as candidaturas do partido para as próximas eleições municipais em Fortaleza. A UP é o mais novo partido registrado no Brasil e chega a essas eleições apresentando um programa socialista, contra o fascismo e pela derrubada do Governo Bolsonaro.

Eleições em Campinas e a batalha contra a direita conservadora

Uma marca comum das prefeituras paulistas e que Jonas Donizette (PSB) segue trilhando em conjunto é a maior militarização da Guarda Municipal. Assim como essas e outras medidas, a afirmação que seu governo reacionário é de “centro-esquerda” é contraditória.

Esquerda vence eleições na Bolívia

Desde que Jeanine Añez e as milícias fascistas tomaram o poder no golpe de novembro de 2019 a Bolívia tem passado por uma profunda crise econômica. O desemprego aumentou e o governo começou a aplicar a cartilha neoliberal defendida pela Embaixada dos EUA, que deu amplo apoio ao movimento golpista. Na pandemia, além de superfaturar itens de saúde, o governo golpista impôs uma gestão desastrosa que levou à morte de 8,4 mil pessoas. Nas grandes cidades, as milícias fascistas organizadas por apoiadores de Camacho e Añez começaram a perseguir militantes de esquerda. Mas, mesmo nesse quadro, os trabalhadores da cidade e do campo na Bolívia não pararam sua mobilização. Foram meses com greves, bloqueios de estradas mobilizações sociais reivindicando a saída do governo golpista. Nas eleições deste dia 18 isso se refletiu com um comparecimento acima dos 80%, o que pode ter consolidado a virtual vitória de Arce.

Emissoras de TV cancelam debates para favorecer candidatos dos ricos

Os comentaristas das grandes emissoras de televisão gostam de posar de “imparciais”, contrários à “velha política”, condenam as famílias que se perpetuam no poder municipal, mas na hora da eleição fazem de tudo para favorecer esses grupos. De fato, a realização de debates colocaria em risco e abriria espaço para as candidaturas de oposição ao fascismo crescerem.

Novidades