UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

sexta-feira, 21 de junho de 2024

Coletivo LGBTIA+ de Franca sofre com o descaso da Prefeitura

Após três edições bem-sucedidas do evento “Bloco das POC”, nesse ano de 2023, quando todo o setor cultural se reanima com a saída da pandemia, o coletivo procurou novamente a prefeitura e a secretaria de cultura e encontrou as portas fechadas.

Redação


FRANCA (SP)O coletivo Close Certo foi fundado em 2018 após um ataque racista e homofóbico contra um dos seus integrantes, no mesmo ano o grupo realizou na praça do ocorrido o Bloco das POC no carnaval sendo então pioneiro em eventos que divulgassem as pautas lgbt na cidade

A assistência a essa população tão marginalizada em Franca é pouca, Leontter integrante do coletivo em entrevista ao jornal A Verdade expõe: “não temos políticas públicas voltadas a comunidade, não temos abrigo pra pessoas LGBT, não somos atendidos no serviço público de saúde, pessoas trans e não binárias  que estão em transição não conseguem acessar endocrinologistas para fazer o tratamento hormonal são mandadas para outra cidade, o que aumenta os custos e aumenta os riscos de uma automedicação”.

Recentemente, a mulher do vice-prefeito, Bete Benelli de Paula, publicou nas suas redes sociais comentários transfóbicos relacionados a tratamento ginecológico de pessoas trans. Procurada, a Prefeitura disse que não responde por esses comentários e que ola não representa a instituição.

Vale lembrar que o Brasil segue sendo o país que mais mata pessoas trans no mundo e que, além desses ataques, a população LGBT enfrenta outros problemas no acesso a serviços de saúde, reconhecimento de seus nomes sociais e inserção no mercado de trabalho onde (segundo dados de 2020 pela ANTRA) apenas 4% da população transfeminina se encontra em empregos formais e com possibilidade de promoção e progressão de carreira.

Descaso

Os ofícios e solicitações de reunião tem sido enviados desde novembro, mas a resposta oficial da FEAC (Federação de Esporte e Arte de Franca) foi que seu presidente estava muito ocupado cuidando de eventos de Natal – que não aconteceram e levantaram profunda revolta quando na instalação das luzes na cidade um trabalhador sem equipamentos de segurança foi vítima de uma queda.

Todo esse descaso não é aleatório, representa a ideologia da nova administração do prefeito, Alexandre Ferreira (MDB), que se recusa a dialogar com movimentos sociais e menospreza a força destes na transformação da vida política do município

O Close certo agora realiza uma campanha de financiamento coletivo para a abertura da primeira casa de assistência a pessoas LGBT em Franca que pode ser acessada pelo link:

https://benfeitoria.com/projeto/casa-close-certo-13i5

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes