UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quinta-feira, 18 de julho de 2024

MOSTRANDO RESULTADOS PARA:

João Dória quer cortar R$454,6 milhões da ciência

Além de estudos sobre as faltas de políticas para enfrentar a crise socioeconômica, com o desenvolvimento de pesquisas para combate da violência contra as mulheres, do desemprego e do agravamento dos transtornos mentais.

Em meio a pandemia, água está suja no Grajaú

A atual situação mostra que São Paulo precisa de uma política que não ignore as mais de 1.503 de internações por Covid-19, que não ignore os problemas de saneamento básico e que também não apresente como solução a privatização do sistema de saneamento.

Pela vida das nossas crianças! Contra o decreto de reabertura das instituições de educação infantil

No dia 19 de outubro, foi assinado, o Decreto Nº 1851 que estabeleceu, entre outras questões, a reabertura das atividades de berçários e ensino da primeira infância para crianças de 0 a 5 anos de idade. As atividades poderão retornar seguindo as recomendações e protocolos estabelecidos pela Secretaria Municipal de Saúde, e com a limitação da capacidade máxima de alunos em 30%.

O coveiro dos brasileiros e das nossas florestas

Verdade seja dita: no governo de Bolsonaro, 41 milhões de brasileiros querem trabalhar, mas não encontram emprego e a carne é tão cara que foi substituída pelo ovo. Também quatro em cada dez famílias brasileiras vivem com insuficiência alimentar, isto é, passam fome, constata o IBGE. Mesmo sabendo deste sofrimento do nosso povo, o amigo dos banqueiros e seus generais fascistas reduzem o valor do auxílio emergencial para R$300,00, valor que não compra nem uma cesta básica, e numa canetada exclui 5,7 milhões de desempregados do auxílio emergencial. Não bastasse, traidores da pátria que são, obedecem a todas as ordens dos EUA e da oligarquia financeira. Claro está, portanto, que ou Brasil se livra deste mal chamado Bolsonaro ou este mal continuará destruindo o Brasil.

Trabalhadores continuam a sofrer com o descaso da empresa Alma Viva em Sergipe

Mesmo com relatos gravados, diversas denúncias, a liminar foi mantida com promessas de garantia de segurança à vida dos trabalhadores, como distanciamento social e higienização das máquinas e locais de trabalho. Todas as promessas da liminar não passaram de mentiras segundo relatos e registros dos próprios funcionários da empresa.

A farsa da meritocracia na educação

Nos discursos da mídia burguesa sobre a universidade pública a intenção de convencimento é apenas uma: a aprovação do Enem ocorre pela meritocracia, ou seja, se você foi um aluno estudioso e dedicado, ingressará na universidade; caso não entre, o problema está no aluno, que não dedicou tempo necessário a sua educação.

Governo está sucateando a educação pública

Esse pequeno retrato das dificuldades de uma professora e de uma mãe de alunos sintetiza o que milhões de profissionais da Educação e pais do país inteiro estão passando nesta pandemia, desamparados por um governo que dedica todas as suas atenções e preocupações aos bancos e grandes empresas enquanto o povo brasileiro padece de Covid-19, sem renda e sem emprego, agarrando-se à esperança de dias melhores, que só virão com muita luta.

Universidades privadas discriminam estudantes pobres e lucram durante pandemia

Para militantes da União da Juventude Rebelião (UJR), contudo, “a mercantilização da educação e a precarização do ensino não surgiram com a Covid-19. As políticas neoliberais e de austeridade implantadas nos últimos governos e aprofundadas por Michel Temer (MDB) e Jair Bolsonaro (sem partido) obedecem aos interesses dos grandes empresários, que lucram bilhões com a privatização do ensino, e consolidam um oligopólio no Brasil através da transformação de um direito em mercadoria.”

O perigo da política oportunista do prefeito de Natal na pandemia

Por Ezequias Rosendo NATAL - O prefeito do município de Natal, Álvaro Dias (PSDB) tem mantido uma postura oportunista diante do cenário atual da pandemia...

Reabertura proposta por Crivella põe em risco saúde no Rio

Dando prosseguimento ao projeto de priorizar o dinheiro e não a vida, em maio, o prefeito retirou dados sobre óbitos de Covid-19 do painel de informações da prefeitura na internet, explicando que o objetivo era rever protocolo. A manobra coloca em xeque a credibilidade dos dados expostos e prejudica o planejamento das ações, contribuindo para o aumento de casos e mortes pela doença na cidade.

Mortes por Covid-19 aumentam com militares na Saúde

Desde junho, a força de intervenção militar no Ministério da Saúde conta com a presença de 25 oficiais, nomeados para cargos diversos na pasta, mesmo não possuindo qualquer formação ou experiência específica. Nunca na história brasileira o ministério foi dirigido por militares, nem mesmo durante os 21 anos de ditadura (1964-85). O resultado é que mais de 60 mil pessoas já morreram de Covid-19 desde que as Forças Armadas assumiram o comando da Saúde e do combate à pandemia.

Novidades