TwitterFacebook

Economia Socialista: Programa de Formação na Quarentena

A CLASSE VITORIOSA – Sem a classe operária, não seria possível a vitória econômica do socialismo na URSS. (Fotos: Reprodução/Revista Cmeha)

Redação Piauí
Jornal A Verdade

Jornal A Verdade, na programação de formação na quarentena, decidiu abordar o tema Economia Socialista, em um momento no qual cresce a confusão acerca do que significa um “Estado Socialista”, as diferenças econômicas fundamentais entre socialismo e capitalismo. Na verdade, trata-se de uma campanha de mistificação do marxismo promovido pela burguesia, particularmente realizada pela extrema-direita, sob o pretexto de combater o comunismo.

O tema é abordado por economistas e revolucionários que analisam as condições de desenvolvimento econômico da maior e mais profunda revolução socialista do século XX: a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Foram 70 anos de enormes mudanças que trouxeram para a humanidade um regime econômico que não vivenciou nenhuma crise econômica interna; garantiu emprego a todos os trabalhadores; dotou a sociedade de direitos sociais até então nunca vistos; derrotou a maior ameaça social do século XX, o nazi-fascismo; se transformou na maior potência tecnológica na década de 1960; apoiou a libertação de centenas de povos explorados; garantiu plena autossuficiência técnica, política e social.

Os primeiros textos selecionados são partes da obra Problemas Econômicos do Socialismo na URSS: “Caráter das Leis Econômicas no Socialismo” e a “Produção Mercantil no Socialismo”, do líder revolucionário soviético Josef Stálin. Citamos aqui uma passagem:

Aqui, da mesma forma que nas ciências naturais, as leis do desenvolvimento econômico são leis objetivas, que refletem os processos do desenvolvimento econômico, que se realizam independentemente da vontade dos homens. Os homens podem descobrir essas leis, conhecê-las e, baseando-se nelas, utilizá-las no interesse da sociedade, dar outro rumo às ações destrutivas de algumas leis, limitar sua esfera de ação, dar livre espaço a outras novas leis que abrem caminho para adiante, mas não podem destruí-las ou criar novas leis econômicas.

No segundo, apresentamos “O Milagre Econômico Soviético”, do economista Valentine Katassonov, o qual mesmo não sendo marxista aborda de forma objetiva o desenvolvimento soviético. Ele afirma:

O nível de vida dos soviéticos crescia ininterruptamente, apesar de o país destinar para o investimento uma parte do PIB muito mais importante do que os EUA e outros países ocidentais. O período de 30 anos da nossa história (do início dos anos 30 ao início dos anos 60) pode ser designado de ‘milagre econômico’ soviético. Neste período incluem-se os anos da II Guerra e da subsequente reconstrução da URSS.

OPERÁRIAS E LIVRES – Na URSS, as fábricas eram consideradas os principais locais de libertação e autossuficiência do povo. (Foto: Reprodução/Revista Cmeha)

Encerramos com os textos “As Superioridades da Economia Socialista Planificada , da Academia Soviética de Ciências, o qual aborda o modelo de integração e planificação econômica na base de relações de produção socialistas; e “A Contrarrevolução Econômica na URSS”, de Augustin Casanova, apresentando as condições históricas e econômicas fundamentais do regresso econômico da URSS ao capitalismo a partir da década de 1990.

Compreender essa experiência econômica como aplicação do modelo socialista é fundamental para reafirmar à classe trabalhadora seu futuro revolucionário e combater decisivamente os ideólogos burgueses, os reacionários, reformistas e revisionistas de todas os matizes.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações