TwitterFacebook

Marxismo e a Educação Socialista: Programa de Formação na Quarentena

EDUCAÇÃO – Na URSS, a educação era levada como uma tarefa coletiva de todo o estado socialista, com enfase na construção de uma nova moral. (Foto: Reprodução/Arquivo)

Redação Piauí e Paula Colares

Jornal A Verdade, na programação de formação na quarentena, decidiu abordar o tema “Marxismo e a Educação Socialista”, na qual consideramos de grande relevância para a formação revolucionária e muito importante para a construção e modificação de uma sociedade. Nesse sentido, escolhemos 11 textos de variados autores, com destaque a obras que expõe o processo educacional após a vitoriosa Revolução Russa de 1917, a partir das mudanças no sistema de ensino e como a educação foi importante para a edificação do socialismo e a construção de um novo ser humano. Estão presentes autores fundamentais para esta compreensão, que são, Nadezhda Krupskaya, Anton Makarenko, Pistrak, Lev Vygotsky e Mikhail Kalinin. Além de outros educadores e pensadores que contribuíram para formulação de vários aspectos relativo a este tema. 

Com o intuito de compreendermos as mudanças no sistema de ensino, da escola e na educação da União Soviética, trouxemos trechos do livro “A Construção da Pedagogia Socialista”, da educadora e revolucionária Nadezhda Krupskaya. A educadora abordará em sua obra a construção da pedagogia soviética a partir da sua experiência como vice-comissária, líder da “Seção Pedagógica da Comissão Cientifica Estatal” e responsável pela criação dos currículos e programas escolares. Tratando de variados aspectos como a tarefa dos educadores(as) e da escola, em educar as novas gerações com outras práticas e princípios a partir de uma revolução social, aborda sobre o ensino politécnico e trata sobre as contribuições de Karl Marx e Vladimir Lênin para a educação.

Ainda para aprofundarmos a compreensão sobre as experiências educacionais da União Soviética, as críticas ao modelo burguês de educação e as mudanças no sistema educacional após a revolução, apresentamos o artigo “A Revolução de Outubro e a Educação (1917-1932)”, escrito pela organização “Democracia Revolucionária da Índia” publicado na Revista Unidade e Luta.

NOVA MORAL – A Educação soviética tratava de combater velhas concepções machistas, xenofóbicas e racistas que dominavam a sociedade capitalistas. Na foto, jovens pioneiros(as) entregam flores ao artista norte-americano Paul Robson. (Foto: Reprodução/Arquivo)

Indicamos a leitura da obra; “Fundamentos da Escola do Trabalho”, do educador russo Moisey Mikhaylovich Pistrak. O pedagogo socialista contribuiu de forma expressiva para a formulação de uma nova educação na Rússia nos primeiros anos após a consolidação do novo regime soviético.

Sua pedagogia defende a construção de uma nova educação que negue as antigas estruturas sociais, em especial a “escola czarista”, pois esta refletia uma estrutura social estratificada entre escolas dos ricos e escola dos filhos da classe trabalhadora. Para isso, as crianças, desde a mais tenra idade, deveriam exercer uma educação voltada para o trabalho. Segundo Pistrak:

“A base da educação comunista é, antes de tudo, o trabalho imaginado na perspectiva de nossa vida moral, o trabalho concebido do ponto de vista social. Na base do qual se forja o trabalho, se introduz inevitavelmente uma compreensão determinada da realidade atual à criança desde o início na atividade socialmente útil.”

Esta concepção se insere em um contexto onde as esperanças são depositadas nas crianças e jovens, pois serão eles os responsáveis por edificar uma nova sociedade, para isso, o papel da escola é fundamental como forma de educar à luz de um trabalho coletivo superando as velhas concepções individualistas.

Apresentamos o texto “Paraíso das Crianças”, do livro “O Mundo da Paz”, do renomado autor brasileiro Jorge Amado, onde relata as mudanças no ensino, na educação, na relação dos pais com as crianças vivida pela URSS. Presenciada pelo autor ao visitar os países soviéticos nos anos de 1948 e 1949, Jorge Amado também faz comparações com a forma de vida e o descaso com as crianças em nosso país e rebate várias mentiras sobre a vida no socialismo.

PARAÍSO DAS CRIANÇAS – O escritor Jorge Amado aborda os aspectos da educação soviética que transformou vida de milhões de jovens através da revolução dirigida por Lênin e a construção do Socialismo por Stálin. (Foto: Reprodução/Arquivo)

As mudanças educacionais promovidas pela revolução de 1917 e vivenciadas na União Soviética proporcionaram um debate para além do ensino, mas também para a formação de novos homens e mulheres. Apresentamos aqui alguns autores com trabalhos que contribuíram nesses aspectos.

“O Socialismo e a Educação dos Filhos” , uma obra de Anton Makarenko, pedagogo ucraniano e membro do Partido Comunista. O autor se refere ao papel da família e da escola na educação das crianças na sociedade socialista.

Sobre as mudanças no aspecto ideológico e moral da sociedade, trazemos o conjunto de textos e discursos de Mikhail Kalinin, primeiro chefe de estado da URSS, “Sobre a Educação Comunista”, um informe para a assembleia do “Ativo do Partido Bolchevique” na cidade de Moscou.

No aspecto das mudanças psicológicas e comportamentais, trazemos texto “A Alteração Socialista do Homem”, do importante pensador e psicólogo russo, Lev Vygotsky.

Na disputa ideológica dentro ainda do sistema capitalista, é necessário o fortalecimento do campo revolucionário tanto no âmbito da formação política como educacional, levando em consideração a cultura e a educação nesse processo. Nesse sentido, trazemos as contribuições de Antônio Gramsci em suas abordagens sobre a importância da classe trabalhadora ter seus intelectuais orgânicos, como também atuar politicamente na cultura, na escola e na construção de uma educação que não separe a formação intelectual e o trabalho, a partir do texto “Os Intelectuais e a Organização da Cultura”.

Para proporcionar uma formação mais ampla, também para explorar sobre como Karl Marx e Friedrich Engels abordavam sobre os temas da educação e do ensino, trouxemos o livro “Textos Sobre Educação e Ensino”, extensa reunião com dezenas de citações de Marx e Engels ao longo de suas obras sobre o tema.

A educação socialista e o marxismo também contribuíram para o desenvolvimento de uma nova concepção de educação a partir da dialética como método de análise. Moacir Gadotti contribui com essa perspectiva trazendo um debate sobre “método e concepção”. Através dessa leitura podemos também incluir na nossa formação uma crítica a educação burguesa e a educação no Brasil, além de pautar também a educação do educador, presente na obra “Concepção Dialética da Educação: Um Estudo Introdutório”.

A partir das experiências soviéticas e as suas contribuições para a educação desenvolvendo uma pedagogia socialista, percebemos a necessidade de transformar a nossa sociedade e conduzir a educação para ser libertadora e com consciência de classe. Nesse sentido, escolhemos trecho do livro “Ação Cultural para a Liberdade e Outros Escritos”, de Paulo Freire, importante educador brasileiro. Ele expõe que o professor(a) pode desenvolver um papel fundamental no momento em que decidir ser também um professor(a) revolucionário(a).

Assim, encerramos a seleção de textos sobre o tema da semana, confiantes que possam contribuir para uma melhor compreensão da “Educação no Socialismo” e outros diversos aspectos do tema educação. Desde já convidamos os leitores para participar, do programa “Marxismo em Debate” da próxima segunda as 19h no canal do Jornal A Verdade sobre o mesmo tema abordado neste texto.

Print Friendly, PDF & Email
classic-editor-remember:
classic-editor

2 comments

  1. Guilherme Amorim

    Parabéns pela seleção de textos

    Avante no programa de formação marxista

  2. Conceição

    Oportuna indicação dos textos! Parabéns pela escolha!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornais Internacionais

Páginas

Categorias

Especial

Links

Movimentos Sociais e Organizações