UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

segunda-feira, 24 de junho de 2024

MOSTRANDO RESULTADOS PARA:

Eleições são fraudadas no Equador

O principal desafio das forças revolucionárias nas eleições de fevereiro esteve, portanto, diretamente ligado à necessidade de expressar na luta eleitoral a luta de rua que ocorreu no ano anterior.

Walter Zuleta, presente!

O legado de Chicho é daqueles que alimentam os corações e as consciências dos homens e mulheres que se colocam à disposição da luta contra a exploração dos trabalhadores, dos povos e nações oprimidos pelo imperialismo e pela vitória do socialismo e do comunismo no mundo.

Após 68 anos da sua morte, Stálin vive!

No dia 05 de março de 1953, falecia Josef Stálin, principal dirigente do Partido Comunista (bolchevique) da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Aos 74 anos, fora vítima de um derrame cerebral que o levou à imortalidade: 4 milhões de pessoas compareceram ao seu funeral, vindas de todas as partes do mundo. Até os dias de hoje, nesta data, há peregrinações de dezenas de milhares de pessoas que levam flores ao seu túmulo.

A situação internacional e as tarefas dos marxista-leninistas

A CIPOML reuniu-se em fevereiro e fez um balanço da atuação dos partidos Marxistas-Leninistas em nível internacional. Dois novos partidos tiveram seu ingresso aprovado na conferência: o Partido Comunista Revolucionário do Chile (PCR) e a União Revolucionária do Trabalho da Sérvia (RSRS, pela sigla em sérvio).

Movimentos sociais se levantam contra fraude eleitoral no Equador

Atas de contagem fraudadas, principalmente na região de Guayaquil, retiraram o candidato Yaku Perez e colocaram o banqueiro Guillermo Lasso no segundo turno. Partidários de Rafael Correa e da direita respaldam a fraude eleitoral.

Bloco popular e de esquerda vence o primeiro turno das eleições no Equador

Os esforços da classe dominante – apoiados nas máquinas eleitorais e nos grandes meios de comunicação – não conseguiram levar os dois candidatos dos capitalistas (Arauz e Lasso) para o segundo turno. Mais de 70% dos equatorianos rejeitam o candidato de Rafael Correa e suas armadilhas demagógicas.

Equador pode derrotar a herança neoliberal nas eleições de fevereiro

Yaku Perez, candidato indígena da coalizão de esquerda, tem chances reais de chegar ao segundo turno nas próximas eleições presidenciais do dia 7 de fevereiro; Equador expressa nas urnas a continuidade do levantamento popular de outubro de 2019. 

A Verdade presente em Seminário Internacional de Jornalismo

No dia 25 de novembro, o Jornal A Verdade, representado pelo jornalista Rafael Freire, participou do Seminário Internacional “Comunicação Emergente e a Transformação Social em 2020”, promovido em plataforma virtual pela Universidade Técnica de Cotopaxi, Equador. O evento contou com uma extensa programação, entre os dias 24 e 27, e mobilizou cerca de quatrocentos participantes em cada mesa de debates, sobretudo estudantes de Jornalismo.

Maradona sempre defendeu os oprimidos

Sua identidade latino-americana aproximou o craque de diversos líderes e governos progressistas no continente, em especial de Fidel Castro e Hugo Chávez. Ele sempre se manteve identificado com nosso continente. Foram inúmeras as visitas a Cuba e os registros com o comandante da Revolução. Em 1987, Maradona visitou Havana e conheceu Fidel pessoalmente. Diego sempre sustentou que Fidel era um segundo pai para ele e condenou as posturas hostis dos governos estadunidenses contra a Revolução Cubana.

Crônica | “El Diós Del Pueblo: Hasta Siempre, Don Diego”

De uma época marcada por jogadores engajados nas lutas populares da América Latina, Maradona marcou o mundo dentro e fora das quatro linhas, se tornou uma entidade do futebol sul-americano, e agora se eterniza como uma divindade do esporte.

Fascista Trump é derrotado em eleições nos EUA

Após vários dias de apuração, Donald Trump, atual presidente dos EUA, foi derrotado pelo candidato do partido democrata, Joe Biden, que até o fechamento desta matéria contabilizava 290 delegados no Colégio Eleitoral. Com quase quatro anos de um governo autoritário, com políticas racistas e antipopulares, Trump foi derrotado nas urnas pela mobilização do povo estadunidense contra o fascismo e o racismo.

Novidades