UM JORNAL DOS TRABALHADORES NA LUTA PELO SOCIALISMO

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

13º e 14º dias: programa de formação para a quarentena


Redação Piauí
Jornal A Verdade

BRASIL – Devido à atual situação em que o mundo se encontra, em meio à pandemia do Covid-19, em que a disseminação de fake news, a falta de informação tem afetado diretamente a todos, com impacto acentuado em pessoas que sofrem com crises de ansiedade e/ou de pânico. O isolamento social, que é necessário agora, acaba por piorar ainda mais esse quadro de desinformação e medo.

Pensando nisso e na necessidade de compreensão de quais fatores levaram a esse contexto social , o jornal A Verdade está fazendo uma programação com indicações de textos e filmes para ajudar na formação política de seus leitores no período da quarentena.

LEIA MAIS:
Programa de Formação Política Para a Quarentena

3º e 4º Dia: Programa de formação para a quarentena

5º e 6º Dia: Programa de formação para a quarentena

7º e 8º dias: programa de formação para a quarentena

9º e 10º dias: programa de formação para a quarentena

11º e 12º dias: programa de formação para a quarentena

Divulgaremos essa programação a cada dois dias aqui em nosso site. Confira a indicação para as próximas 48 horas.

13º DIA:

FILME

DOMÉSTICAS O FILME

O filme retrata de forma irreverente a realidade de um grupo comumente invisível na sociedade, o grupo de empregadas domésticas, que contam suas desventuras em busca de um futuro melhor ou da patroa perfeita. Em seus desafios diários enfrentam preconceitos e problemas sociais. Enquanto limpam casas, contam suas experiências de vida, seus objetivos e sonhos, o filme mostra a vida de cinco delas que têm expectativas diferentes, mas vivem a mesma realidade.

90 min / comédia, drama

Direção: Nando Olival, Fernando Meireles

LINK NO YOUTUBE:

TRAILER:

https://www.youtube.com/watch?v=lzCMCK2JkK0

FILME:

https://www.youtube.com/watch?v=suTK4Ms5iPA

TEXTO

KRUPSKAIA, EDUCADORA E LÍDER BOLCHEVIQUE

“Krupskaia, educadora e líder bolchevique” é um texto do historiador José Levino, colaborador do Jornal A Verdade.

Nadezhda Konstantinovna Krupskaya nasceu em 14 de fevereiro de 1869 em São Petersburgo, Rússia. Foi uma importante dirigente bolchevique, responsável pela criação de um novo sistema educacional soviético.

O Jornal A Verdade indica esse texto pela importância de se conhecer essa revolucionária que dedicou quase meio século, da sua vida ao partido comunista, ao povo e a transformação revolucionária da sociedade. Ao longo da vida, publicou mais de 3000 livros, folhetos, artigos, críticas, etc. Contribuindo de maneira decisiva para o desenvolvimento da ciência educacional marxista e a luta das Mulheres.

“Enquanto a organização do ensino permanece nas mãos da burguesia, o trabalho escolar será uma arma dirigida contra os interesses da classe trabalhadora. Somente a classe trabalhadora pode converter o trabalho na escola ‘num instrumento para a transformação da sociedade contemporânea’”.

 ARQUIVOS: Krupskaia, educadora e líder bolchevique – José Levino

 14º DIA:

FILME

CIDADÃO BOILESEN

Um dos Empresários que Financiou a Tortura no Brasil

O Jornal A VERDADE indica para os seus leitores o filme Cidadão Boilesen, uma obra necessária para se entender o papel da burguesia nacional na ditadura militar no Brasil.

Com a direção de Chaim Litewski, o documentário foi produzido ao longo de 16 anos, é um documento audiovisual de qualidade ímpar em termos de pesquisa, impacto e apuro técnico. Litewski costurou de maneira sublime uma história que tinha tudo para ser chata, principalmente pela quantidade de material visual estático (fotos em preto e branco), mas não é o que se vê na tela.

Através de diversos depoimentos, o documentário revela as ligações de Henning Albert Boilesen (1916-1971), um empresário dinamarquês que se naturalizou brasileiro, presidente do famoso grupo Ultra, da Ultragaz, com a ditadura militar. Seu apoio, assim como de muitos outros empresários, financiou o movimento de repressão violenta e também a sua participação na criação da temível Oban – Operação Bandeirante, espécie de pedra fundamental do DOI-CODI.

O filme expõe os dois lados da vida de Boilesen. Primeiro o lado do estrangeiro que venceu no país exemplo de êxito. E também a outra face do empresário, ligado aos militares, ele foi um dos principais financiadores da OBAN. Angariava entre empresários, recursos para combater os que lutavam contra a ditadura. Pior,  o dinamarquês tinha prazer em testemunhar pessoalmente sessões de tortura. Inclusive, um dos aparelhos foi batizado com seu nome: a Pianola Boilesen, uma máquina de choques acionado por um teclado. E, quando necessário, fazia uso até dos caminhões da Ultragás para auxiliar nas caçadas dos guerrilheiros.

1h 32min /Documentário

Direção:ChaimLitewski

LINK NO YOUTUBE:

 TRAILER:

FILME:

 

TEXTO

 

TODO UM POVO DISCUTE PROBLEMAS DE CULTURA

MUNDO DA PAZ – JORGE AMADO

Todo um povo discute problemas de cultura é um trecho do livro “Mundo da Paz” do escritor brasileiro Jorge Amado, publicado no ano de 1951. O autor conta sobre sua viagem a União Soviética e as diferença entre países capitalistas (em especial o Brasil) e o país socialista que era a URSS.

A União Soviética foi o exemplo do socialismo, enquanto muitos países capitalistas andavam para trás. Jorge Amado pôde perceber durante sua estadia na URSS que os soviéticos tinham uma vida bem melhor do que a de qualquer outro país capitalista, começando pela cultura do país, onde todos tinham acesso muito fácil a livros, teatros, cinemas. Os trabalhadores não tinham do que reclamar, pois o estado garantia condições de vida digna, como por exemplo, uma taxa de aluguel que não podia passar de dez por cento do salário dos operários, onde a educação era garantida, onde havia creches para as mães deixarem seus filhos enquanto estavam no trabalho, a desigualdade entre homens e mulheres acabara, onde teve a erradicação do analfabetismo.

Jorge Amado conseguia ver claramente a diferença entre os países, onde no Brasil só quem falava em cultura era uma pequena minoria que detinham o poder, onde poucos tinham acesso a livros, pois os preços eram muito altos e junto a isso o analfabetismo no Brasil era gigantesco.

Durante toda a leitura do texto conseguimos perceber as diferenças, sentir um pouco da alegria dos soviéticos e o orgulho do seu país socialista e principalmente do seu povo.

ARQUIVO: TODO UM POVO DISCUTE PROBLEMAS DE CULTURA formatado

Outros Artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias recentes